Topo
Blog da Bella Falconi

Blog da Bella Falconi

Categorias

Histórico

4 problemas de saúde causados pela má alimentação

Bella Falconi

27/09/2019 04h00

Crédito: Istock/stockvisual

Todos nós sabemos que  descuidar da alimentação traz malefícios para a saúde. Por isso, a nutrição e as orientações de um profissional da área são muito importantes: não apenas para ajudar a manter o corpo em pleno funcionamento, ao balancear as refeições e fornecer a quantidade ideal de nutrientes, mas também para prevenir doenças e criar em nós a consciência de que desequilíbrios e escolhas alimentares ruins podem prejudicar e muito o organismo.

Separei quatro doenças que são causadas por uma alimentação inadequada e que podem ser evitadas se tomarmos alguns cuidados importantes com o que ingerimos e o modo como ingerimos os alimentos.

Alguns hábitos como pular refeições, comer muitos alimentos ricos em gorduras, ter uma dieta com abundância de alimentos industrializados, alimentação pobre em nutrientes e comer apressadamente devem ser evitados ou reduzidos se queremos ter uma saúde plena.

Gastrite

Além das causas mais frequentes, que são a ingestão de alimentos contaminados pela bactéria Helicobacter pylori (H. pylori), transmitida de pessoa para pessoa através de comida ou água contaminadas, ela pode ocorrer quando fazemos refeições com grande volume de alimentos mantendo um intervalo muito grande entre elas.

O mais básico preceito para se evitar a gastrite é evitar ingerir alimentos de procedência duvidosa ou que nao foram bem cozidos.

Ficar sem comer por horas para depois descontar na comida de uma vez pode causar gastrite e mal-estar. Para evitar os sintomas, é recomendável se alimentar várias vezes ao dia em pequenas quantidades. Assim, o organismo facilita o processo de digestão que ocorre no estômago sem o sobrecarregar.

Para evitar a gastrite, deve-se reduzir a ingestão de alimentos muito picantes, ácidos, frituras e gorduras. O álcool, se for consumido, deve ser com moderação.

Colesterol elevado

Dados da OMS apontam que o colesterol elevado é o causador de aproximadamente um terço de todas as doenças cardiovasculares no mundo e 18% do total dos casos de AVC e 4,4 milhões de mortes. Quase 8% do total de mortes anual registradas em todo o planeta.

Apesar de o LDL (conhecido como colesterol ruim) ser também produzido pelo organismo, o consumo de gorduras e alimentos ricos em colesterol aumenta a sua quantidade no organismo e os riscos associados a ele, como citados acima.

É muito importante realizar mudanças no estilo de vida ou até buscar apoio médico especializado sempre que exista uma tendência familiar, fator que aumenta ainda mais os riscos.

Em geral, 35% das calorias que ingerimos provêm da gordura, que trazem consigo aproximadamente 500 mg de colesterol por dia. Logo, aqueles que já tem tendência a ter o colesterol elevado, costumam ser aconselhados a ingerir uma dieta pobre em gorduras saturadas e com alto conteúdo em fibras solúveis (fibras presentes na cevada, aveia e em frutos e vegetais ricos em pectina) que tem o potencial de ajudar a reduzir as gorduras totais.

Hipertensão arterial

Clinicamente define-se como hipertenso, de modo geral, qualquer pessoa que por diversas vezes durante o dia apresente como resultado de aferição de pressão valores maiores do que 14 (máxima) por 9 (mínima).

Em boa parte dos casos, esta doença aparece devido ao consumo excessivo de sal, mas o sedentarismo e o consumo excessivo de gorduras e produtos industrializados também são considerados agravantes.

Muitos especialistas recomendam o plano alimentar DASH, conhecido por pretender alcançar a diminuição da pressão arterial por meio da perda de peso e a redução dos níveis de colesterol no sangue.

O plano alimentar DASH privilegia o consumo de vegetais, frutas, leite desnatado e seus derivados magros, além de grãos integrais, aves, peixes e óleos vegetais, também reduzindo consideravelmente o consumo de sal, bebidas açucaradas, doces e carne vermelha, tendo como característica uma dieta rica em potássio, cálcio, fibras, magnésio e proteínas.

Prisão de ventre

A prisão de ventre geralmente se manifesta devido ao consumo excessivo de açúcares, gorduras, carnes e alimentos industrializados.

Quando se tem uma alimentação que apresenta uma quantidade insuficiente de fibras e frutas, aumenta a probabilidade de ter prisão de ventre.

Frutas como laranja, ameixa e mamão são boas aliadas no combate à prisão de ventre, ainda que se trate de pessoas com um histórico de problemas com intestino preso. O segredo é que essas frutas contêm grandes quantidades de fibras e de água, que colaboram para a melhora do trânsito intestinal, além de melhorar o metabolismo.

Iogurtes também são aliados no combate à prisão de ventre porque em geral costumam ser probióticos, contendo bactérias boas para o intestino.

Referências

Should yoghurt cultures be considered probiotic? https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16022746

Papaya preparation (Caricol®) in digestive disorders. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23524622

Fats and Cholesterol https://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/what-should-you-eat/fats-and-cholesterol/

Dietary Salt Intake and Hypertension https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4105387/

Pathogenesis of Helicobacter pylori Infection
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1539101/

Eosinophilic gastrointestinal disorders affect more than just the esophagus
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4901928/

Sobre o autor

Bella Falconi é bacharel em nutrição e mestre em nutrição aplicada pela Northeastern University, nos Estados Unidos. Atualmente É pós-graduanda em Teologia e pioneira do movimento saudável nas redes sociais. Bella também é ex-atleta fitness e ministra palestras motivacionais em vários lugares do mundo, principalmente no Brasil.

Sobre o blog

Dicas e artigos sobre saúde e bem-estar, com foco no equilíbrio e nas realizações pessoais. A ideia central do blog é motivar e também desmistificar diversos assuntos sobre alimentação saudável.

Blog da Bella Falconi