menu
Topo
Blog da Bella Falconi

Blog da Bella Falconi

Categorias

Histórico

Por que você não deveria cortar completamente as gorduras de suas refeições

Bella Falconi

21/09/2017 04h10

Existem inúmeros debates relacionados aos tipos de gorduras, seus consumos e funcionalidades no corpo. Conheci, ao longo da minha trajetória, muita gente que segue ou já seguiu a dieta "low fat" (de baixa gordura), sem nem mesmo saber o motivo de estar fazendo. Mas pelo simples fato de terem lido em algum lugar da internet que aquela dieta estava na moda resolveram começar.

Eu sempre enfatizo isso: não existe dieta da moda, mas sim estratégias nutricionais que funcionam melhor para uns e podem não ser as mais ideais para outros. Aliás, mesmo as estratégias que funcionam bem devem ser intercaladas com outras estratégias para que não percam sua eficácia. E é por isso que devemos ter sempre o cuidado de buscar uma orientação profissional para entender o que é melhor para cada um de nós.

O que são e para que servem as gorduras?

As gorduras são as principais fontes de energia para o nosso corpo, tendo em vista que cada grama de gordura fornece nove calorias, enquanto, para fins comparativos, cada grama de carboidrato ou proteína, fornecem apenas quatro. O nosso corpo produz gorduras a partir do excesso de calorias que consumimos. As gorduras são classificadas por sua estrutura e, assim, divididas em duas categorias: insaturadas e saturadas.

As gorduras insaturadas são encontradas, por exemplo, nas castanhas, na linhaça, no abacate, no salmão, no azeite, dentre outros alimentos. As gorduras insaturadas, quando consumidas corretamente, podem ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares e na redução do colesterol ruim. As gorduras saturadas, são sólidas em temperatura ambiente e são encontradas, principalmente, em fontes animais, como na carne vermelha, óleos vegetais, nos laticínios e em diversos produtos alimentícios industrializados e processados. Assim como as gorduras insaturadas, as gorduras saturaras também exercem funções importantes no corpo, obviamente, quando consumidas com moderação.

A gordura pode ser cortada completamente da dieta?

Eu, pessoalmente, não faria isso. A curto prazo pode parecer benéfico, devido à redução calórica, o que leva a redução de peso corporal. Contudo, a longo prazo, seria complicado para a saúde. A menos que haja uma recomendação específica, de um profissional da área da saúde, para um determinado indivíduo, não é aconselhável que a gordura seja cortada completamente da dieta, pois elas exercem funções importantes no corpo.

Contudo, é fundamental consumir as quantidades certas de gordura para que elas não se transformem em um problema. Não podemos esquecer que, existe um outro tipo de gordura chamada "trans", que é artificial e não deve ser consumida, nem mesmo em pequenas quantidades, pois é extremamente maléfica à saúde. Nos EUA, por exemplo, já foi ordenada a retirada de gordura trans de todos alimentos. Infelizmente, no Brasil isso ainda não se aplica. Por isso, fique de olho nos rótulos.

Principais funções da gordura no corpo

Os benefícios da gordura no corpo são: fornecimento de energia, proteção e isolamento de órgãos contra traumatismos e lesões, transportador de vitaminas (A, D, E e K) e depressor de fome, por causar mais saciedade do que os outros macronutrientes. Contudo, o tipo de gordura e a quantidade total de gordura consumida diariamente exercem um papel essencial na manutenção da nossa saúde.

Mas a gordura é realmente uma vilã na dieta?

Não! A gordura, de uma forma geral, não é uma vilã, pois tudo depende de quem a consome e de como elas são consumidas. Há pessoas que podem comer maiores quantidades, enquanto outras devem consumir menores quantidades, principalmente das gorduras saturadas. Indivíduos que possuem polimorfismos (alterações genéticas) específicos, devem tomar mais cuidado com a ingestão de gordura saturada.

Durante muito tempo, as gorduras foram consideradas inimigas da dieta por diversas razões, sendo elas corretas e erradas. Diversas doenças, inclusive, foram atribuídas a uma maior ingestão de gorduras (principalmente as doenças cardiovasculares). No entanto, vários estudos levantaram dúvidas sobre a legitimidade dessa hipótese.

O consumo de gorduras saturadas deve ser limitado a aproximadamente 10% das calorias diárias totais (conforme as DRIs americanas), porém, vale lembrar que, gorduras saturadas de cadeia carbônica menor (como os triglicerídeos de cadeia curta e média), ajudam na neuroplasticidade (fornecimento de energia para o bom funcionamento do cérebro), na formação de corpos cetônicos (energia proveniente da gordura), dentre outros benefícios. Contudo, se a gordura saturada for grande em estrutura, ela se torna inflamatória. O horário de consumo da gordura saturada também é importante e o ideal seria consumir no café da manhã ou no almoço, pois quando consumidas no período da noite, elas podem estimular genes que aumentam a produção de gorduras corporais.

Observar a quantidade e o tipo de gordura em um determinado alimento, é uma excelente ideia, principalmente tratando-se de indivíduos posicionados em grupos de risco, como aqueles com problemas de colesterol alto e cardiovasculares. Mas cortar a gordura completamente da dieta, não é uma boa ideia na minha opinião, levando em consideração que a absorção de vitaminas liposoluveis ficaria completamente prejudicada, assim como outras funções importantes no nosso corpo.

Além do mais, quando cortamos completamente as gorduras da dieta, passamos a consumir mais produtos rotulados como "fat free" ou "sem gorduras" –os quais, na maioria das vezes, possuem ingredientes disfarçados, como o açúcar e adoçantes artificiais, que podem ser maléficos à saúde. A melhor ideia mesmo é sempre procurar um bom profissional, para que se obtenha orientações específicas para o seu caso. Cada um de nós tem uma genética e metabolismo diferentes e não adianta pensar que tudo funcionará igual para todo mundo. Portanto, equilíbrio e bom senso, sempre.

Sobre o autor

Bella Falconi é bacharel em nutrição e mestranda em nutrição aplicada pela Northeastern University, nos Estados Unidos, e life coach. Pioneira do movimento fitness nas redes sociais, Bella também é ex-atleta fitness e ministra palestras motivacionais em vários lugares do mundo, principalmente no Brasil. Atualmente, lidera um time de profissionais renomados em sua plataforma online de coaching nos EUA.

Sobre o blog

Dicas e artigos sobre saúde e bem-estar, com foco no equilíbrio e nas realizações pessoais. A ideia central do blog é motivar e também desmistificar diversos assuntos sobre alimentação saudável.